Sábado, 10 de Dezembro de 2016

MUDANÇAS NA SAÚDE

Hospital Regional vai ter
atendimento a vítimas de acidentes

Área de câncer infantil vai sair do HR e ser transferida para Hospital do Câncer

17 OUT 2016Por RODOLFO CÉSAR E GLAUCEA VACCARI18h:50

O Hospital Regional de Campo Grande prepara-se para abrir ala de atendimento de ortopedia e traumatologia a partir de 2017. Esses setores recebem, principalmente, vítimas de acidentes.

Hoje em dia a unidade não oferece esse tipo de especialidade e todos os pacientes que demandam esses procedimentos recorrem à Santa Casa da Capital.

A abertura da ortopedia no HR vai acontecer com a transferência do Centro de Tratamento Onco Hematológico Infantil (Cetohi) para o Hospital do Câncer Alfredo Abrão. O anúncio dessas mudanças foi feito pelo secretário de Estado de Saúde Nelson Tavares no lançamento de 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) instalados no prédio novo do Hospital do Câncer. O evento aconteceu na tarde de hoje.

"O Cetohi virá para o Hospital do Câncer ano que vem e vai ocupar um dos novos andares. Isso vai liberar espaço no Hospital Regional, que passará a ter ortopedia e traumatologia", previu Tavares.

O governo do Estado destinou R$ 10,2 milhões para que o subsolo e o térreo da nova estrutura do HC ficasse pronto. Ainda faltam sete andares para serem concluídos e o total de recursos que ainda precisam ser empenhados ficam entre R$ 15 milhões e R$ 20 milhões.

"Os valores ainda estão sendo levantados. As obras continuam e a previsão é que teremos tudo concluído em dezembro de 2017", disse o governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

A atual estrutura do Hospital do Câncer é de 48 leitos e essa capacidade vai ser ampliada em mais 240 vagas quando todos os nove andares estiveram conclusos.

ESTRUTURA PRONTA

O térreo do novo prédio do HC passa a ter oito consultórios, sala de procedimentos, sala de coleta, atendimento ao público e administração.

No subsolo ficam áreas reservadas para exames de imagens (raio-x, mamografia, ultrassonografia e tomografia), sala de laudo e digitalização e as 20 UTIs. O total da área ocupada é de 2,7 mil metros quadrados.

Ano passado, a unidade hospitalar realizou 162 mil procedimentos e a estimativa para este ano é que isso aumente para 190 mil.

"Com uma soma de esforços, estamos ampliando os nossos espaços para melhor atender os nossos pacientes. Buscamos aprimorar os serviços e proporcionar qualidade, além de celeridade e humanização fundamentais no tratamento oncológico", garantiu Carlos Alberto Moraes Coimbra, diretor-presidente da Fundação Carmem Prudente de MS, que administra o Hospital do Câncer.

A construção dos novos pavimentos vem sendo feita com recursos do Estado, da Prefeitura de Campo Grande e das bancadas federal e estadual. Tem também apoio da Rede Feminina de Combate ao Câncer, iniciativa privada, produtores rurais, classe artística e doadores individuais.

A estrutura anexa tem total de 10.340,3925 metros quadrados e depois de pronta deve exigir a contratação de mais 700 funcionários. O HC emprega atualmente 300 pessoas.

Leia Também