Domingo, 04 de Dezembro de 2016

ACABA

Há uma semana do atentado, ex-integrante de grupo continua internado

Discussão entre vítima e autor teria acontecido dias antes do crime

13 OUT 2016Por LAURA HOLSBACK09h:44

O ex-baterista e cantor do grupo musical Acaba, Eduardo Lincoln Gouveia, 60 anos, continua há uma semana internado sob cuidados médicos, na Santa Casa de Campo Grande. Ele foi baleado no abdômen, na noite do dia 5, em bar localizado na Pedro Celestino.

De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, no mesmo dia em que deu entrada no pronto-socorro, o músico foi submetido à cirurgia para retirada do projetil que havia ficado alojado na barriga e, no dia seguinte, foi levado para quarto para recuperação, onde segue internado. O hospital não divulgou se há previsão de alta médica.

Na sexta-feira (7), o comerciante Fauez Mohamed Ayueb, 50 anos, confessou na 1ª delegacia de Polícia Civil ter atirado em Eduardo Lincoln e entregou ao delegado Fabiano Nagata o revólver utilizado no crime.

Fauez relatou que ele e o músico tinham discutido no domingo (2), durante festa. Três dias depois, Fauez disse que estava no bar quando Eduardo Lincoln chegou nervoso e partiu para cima dele.

O autor do disparo declarou que cometeu o atentado em defesa porque pensou que o músico também estivesse armado. Fora do flagrante e sem ordem de prisão da Justiça, Fauez foi interrogado e liberado para responder ao processo de tentativa de homicídio em liberdade.  

GRUPO

Recentemente o Grupo Acaba completou 50 anos de carreira. Na noite de terça-feira (11), em comemoração ao aniversário do Estado do Mato Grosso do Sul, fez apresentação na Concha Acústica Helena Meirelles, no Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande. Vestidos de branco, sete integrantes que sobreviveram ao tempo de história tocaram e cantaram músicas de época.

Leia Também