Sexta, 18 de Agosto de 2017

Na contramão

Frota de veículos cresce, mas
mobilidade não acompanha

Capital ganhou novos 156 mil carros em 6 anos

20 MAR 2017Por TAINÁ JARA E GILDO TAVARES08h:16

los de Campo Grande cresceu 39,86%, o que equivale a uma média de 26 mil carros por ano. Entretanto, os projetos de mobilidade urbana não têm acompanhado este ritmo e condutor, pedestre e passageiro sentem o impacto da falta de espaço adequado para ir e vir. 

Atualmente, a prefeitura conta com R$ 110,1 milhões do governo federal em caixa para aperfeiçoar o transporte urbano, porém, não há perspectiva deste recurso ser integralmente investido em curto espaço de tempo. 

Para se ter uma ideia do aumento da frota na Capital, em 2010 circulavam 392.157 veículos na Capital. Conforme, estatísticas do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) dezembro do ano passado fechou com 548.475.  Ou seja, 156.318 a mais no período. 

Neste mesmo espaço de tempo, a população passou de 786.797 pessoas para 863.982, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em 2010, a proporção era de duas pessoas para cada carro. Em 2016, este número passou para três pessoas para cada dois carros. Esta proporção fica atrás de grandes capitais, como o Rio de Janeiro, onde a média é de 2,37 pessoa por veículo e Brasília onde a média é de 1,76. Entretanto, é maior do que em Curitiba, onde há 1.893.997 habitantes e 1.516.468, ou seja, menos de três pessoas para dois carros.

O recurso de R$ 110,1 milhões é do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) - Mobilidade e está desde 2013 aguardando para ser usado. Neste ano, parte dele - R$ 15,5 milhões - começou a ser utilizado no recapeamento de quatro avenidas: Guia Lopes, Marechal Deodoro/Gunter Hans, Brilhante e Bandeirantes.

O investimento próprio da prefeitura nesse projeto é de R$ 4,5 milhões, totalizando custo de R$ 24,046 milhões para as quatro vias. A obra é feita em parceira com o Exército Brasileiro e previsão de entrega total apenas em 2018. As intervenções começaram pela Guia Lopes, no bairro Amambai e deve ser finalizada em agosto.  

 *A reportagem completa está na edição de hoje do jornal Correio do Estado. 

 

Leia Também