Sábado, 19 de Agosto de 2017

DURANTE FUGA

Entre os mortos em confronto, um
matou tio com 5 tiros no ano passado

Filiphe cometeu assassinato depois de o tio exigir pagamento de aluguel

17 FEV 2017Por LAURA HOLSBACK10h:44

Filiphe Chaparro de Oliveira, 26 anos, que foi morto em confronto com equipe do Batalhão de Choque, na noite de ontem (16), matou o tio Mário Maciel de Oliveira, de 47 anos, com cinco tiros, no dia 18 de abril do ano passado. O crime aconteceu na Rua Paraisópolis, na Vila Santo Eugênio, em Campo Grande.

Filiphe morreu baleado com quatro disparos ao trocar tiros com policiais militares, durante fuga, nas proximidades da Rua Albert Sabin, no Bairro Belo Horizonte. Anderson Lustroza de Oliveira, 23 anos, que estava com ele também foi morto.

Na época do assassinato de Mário, polícia divulgou informação de que Filiphe era usuário de drogas e que matou o tio por ter recebido cobrança de aluguel.

No Boletim de Ocorrência do caso foi registrado que Filiphe e Mário já tinham tido desentendimento por causa de imóvel proveniente de herança, onde funcionava oficina de motos que era administrada pelo rapaz, mas ele usava frequentemente como ponto de consumo de drogas. Por isso, Mário exigiu que o sobrinho pagasse R$ 150 de aluguel. No entanto, a cobrança gerou insatisfação e o rapaz matou o tio com cinco disparos de arma de fogo.

Dias antes de cometer o crime, Filiphe registrou ocorrência policial contra o tio alegando ter sido ameaçado. Contudo, testemunha garantiu para policiais que a denúncia foi forjada e que ameaças não tinham sido feitas. Pedido de prisão contra o rapaz pelo crime de homicídio não chegou a ser encaminhado ao Poder Judiciário. Filiphe também tinha passagens por crimes de porte ilegal de arma de fogo, dirigir sem habilitação, roubo e dirigir embriagado.

Anderson que também foi baleado por equipe do Choque já esteve preso por furto e tráfico de drogas. Além disso, ele e Filiphe eram investigados em delegacia especializada como suspeitos de serem autores de roubos de veículos e residências. Ambos trocaram tiros e morreram depois de não obedecerem ordem de parada para vistoria. Armas que estavam com eles, sendo revólver calibre 38 e pistola .40 foram apreendidas.

(Colaborou Renan Nucci)

 

Leia Também