Domingo, 25 de Setembro de 2016

REQUALIFICAÇÃO

Empresa investigada na Lama Asfáltica começa obras em rua na Capital

Selco teve contrato com Governo rompido pelo prazo de um ano

16 SET 2016Por VALQUÍRIA ORIQUI18h:25

Suspensa pelo Governo do Estado pelo prazo de um ano e objeto de investigação na Operação Lama Asfáltica, em 2014, da Polícia Federal, a empresa Selco Engenharia Ltda conquistou três licitações da Prefeitura de Campo Grande para pavimentação e drenagem de vias, com contratos previstos na ordem de R$ 7,4 milhões.

Na Rua Marques de Lavradio, no Bairro Tiradentes, as obras já começaram. Ontem e hoje equipe esteve no local com maquinários para raspar e nivelar a rua, para, em seguida, ser recapeada. Uma pequena rotatória foi retirada em um cruzamento, que também deve receber readequações.

Por meio de nota, a prefeitura informou que equipes da Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação (Seintrha) estão trabalhando na requalificação da via. Na região, serão reestruturados 12.500 metros quadrados de área e 1.500 metros de vias, com adequação de nova sinalização e utilização de aproximadamente 1.000 toneladas de Concreto Betuminoso Usinado Quente (CBUQ).

PROBLEMAS

Há alguns meses trabalhadores da Selco vêm reclamando sobre atrasos de salários. Em junho, inclusive, houve paralisação dos funcionários e o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada de MS (Sinticop) interveio. 

Ao Portal Correio do Estado, na semana passada o presidente Walter dos Santos afirmou que a Selco pagou os salários de julho e os de agosto continuam atrasados. Além disso, há problemas relacionados com Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e ticket alimentação.  Uma série de irregularidades foram identificadas pelo MPT e repassadas ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

"Nós estamos tentando assinatura de um TAC para que os atrasos de salário não aconteçam mais. Já foi assinado TAC com Ministério do Trabalho por conta de descumprimento de normas de segurança, mas continuamos tentando que os pagamentos sejam feitos em dia", conta o sindicalista que classificou como negativo o fato da empresa continuar vencendo licitações da prefeitura mesmo não cumprindo com as obrigações trabalhistas. 

Leia Também