Segunda, 05 de Dezembro de 2016

PROJEÇÃO

Crise afeta mercado de pequenas construções, que deve cair 30% este ano

Setor responde por 80% dos imóveis do programa Minha Casa, Minha Vida

15 OUT 2016Por DA REDAÇÃO04h:00

Responsáveis por uma média anual de 2,5 mil imóveis construídos em Campo Grande entre 2014 e 2015 por meio do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), pequenos construtores projetam queda de 30% no número de unidades residenciais edificadas neste ano na Capital sul-mato-grossense. O motivo é a retração econômica que afetou de forma aguda o setor no ano passado e neste ano, a incerteza do mercado diante da mudança de regras nas políticas habitacionais.

O mais recente motivo de preocupação do segmento está agora na cobrança da portaria 160/16 do Ministério das Cidades. Pela nova legislação, a partir de 31 de dezembro de 2016 o pequeno construtor não poderá mais comercializar casas construídas “no chão” (em ruas sem asfalto) pelo Programa, nem vendê-los apenas como pessoa física. O temor é que a situação paralise o mercado e desencadeie nova crise na construção civil, ainda fragilizada pela paralisação de grandes empreendimentos e onda de desemprego entre 2014 e 2015. 

(*) A reportagem, de Daniela Arruda, está na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Leia Também