Sábado, 10 de Dezembro de 2016

CALÇADA PÚBLICA

Disputa por espaço termina com músico
da Capital chamado de 'macaco'

Autor da discriminação fugiu ao perceber que policiais eram chamados

1 DEZ 2016Por LAURA HOLSBACK07h:15

Disputa para ver quem se apresentaria em frente de loja de roupas no Centro da Capital acabou em atitude racista e o caso foi parar na delegacia. Músico, de 29 anos, de pele negra, declarou ter sido chamado de ''macaco'' por homem o qual desconhece. O episódio aconteceu ontem, no cruzamento entre as ruas Barão do Rio Branco e 14 de Julho.

O músico contou para policiais que era autorizado a se apresentar na calçada em frente à loja. Mas, ontem, surgiu homem que ele não o conhece pelo nome, que começou a fazer propaganda no mesmo local com caixa de som em volume alto. Em determinado momento, esse homem teria chegado no músico e dito que ele não poderia cantar naquele espaço.

Mesmo sabendo que era autorizado, o músico foi até a gerência do estabelecimento que confirmou a autorização e negou ter algum vínculo com o homem desconhecido. O setor declarou que apenas emprestava uma das tomadas a ele.

Depois da conversa e para evitar maiores conflitos o artista decidiu ir embora. A ofensa racista aconteceu quando ele recolhia equipamentos. “ É bom você ir mesmo embora. Aqui não é seu lugar. Otário, palhaço, seu macaco, macaco idiota”, disse o desconhecido que fugiu ao perceber que policiais eram chamados.

Apesar de não saber o nome, a vítima informou que o autor da discriminação, de cerca de 1,79 metro de altura, porte físico médio, cabelos grisalhos e bem curtos, pele branca e sem barba, trabalha pelo centro fazendo propagandas de comércios. O caso foi denunciado para ser investigado e o autor responsabilizado, na 1ª delegacia da Polícia Civil. 

Leia Também