Sábado, 10 de Dezembro de 2016

FALTA DE CONSCIÊNCIA

Pneus expostos em estacionamento
preocupam vizinhos em área central

Prefeitura teria informado que tomaria providência dentro de 20 ou 30 dias

28 NOV 2016Por VALQUÍRIA ORIQUI18h:32

Leitora do Portal Correio do Estado, que não quis ser identificada, enviou foto com pneus expostos ao tempo, em estacionamento localizado na Avenida Afonso Pena, área Central de Campo Grande, possivelmente servindo para segurar uma lona de plástico.

De acordo com a advogada, que trabalha no prédio comercial localizado ao lado do estacionamento, ao avistar a situação entrou em contato com a prefeitura municipal e foi informada que dentro de 20 ou 30 dias o problema estaria solucionado.

“Nesse prazo todo já nasceram milhares de mosquitos”, reclamou a leitora. O principal temor dela é com relação aos focos do mosquito Aedes aegypti, que transmite dengue, Zika vírus e chikungunya.

LIRA

Em Mato Grosso do Sul, uma cidade está em situação de alerta e outras nove em situação de risco para surtos ou epidemias de dengue, zika e chikungunya, conforme dados do Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa), divulgado pelo Ministério da Saúde.

O mapeamento foi feito entre outubro e novembro deste ano e aponta que o Estado registrou índice de 1.427,80 casos de dengue por 100 mil habitantes, sendo o quarto maior do país.

​Amambai é a única cidade de MS em situação de alerta para epidemia, com índice de infestação de 4,7.

Estão em situação de risco os municípios de Paranhos, com índice de 3,4; Maracaju (3,2); Paranaíba (2,2); Bataguassu (2); Corumbá (1,9); Alcinópolis (1,5); Coxim (1,2); Bodoquena (1) e Nova Andradina (1).

Campo Grande e os outros municípios apresentaram resultado considerado satisfatório.

Conforme boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Mato Grosso do Sul teve 58.768 notificações e 19 mortes por dengue em 2016. Chikungunya teve 413 casos notificados, com 21 confirmados e nenhum óbito.

Segundo o Ministério da Saúde, maioria dos focos do mosquito Aedes aegypti foram encontrados em depósitos de lixos e pneus. 

CAMPANHA

Para conscientizar a população no combate ao mosquito, foi lançada nacionalmente a campanha "Um simples mosquito pode marcar uma vida. Um simples gesto pode salvar".

Com investimento de R$ 10 milhões, objetivo do Ministério da Saúde é sensibilizar as pessoas para que percebam que é melhor cuidar do foco do mosquito do que sofrer as consequências. 

"Vamos reforçar, ainda mais, a necessidade de eliminar os criadouros, convocando toda a sociedade para esse trabalho”, destacou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Leia Também