Terça, 19 de Setembro de 2017

Habitação

Burocracia emperra entrega de
532 moradias populares na Capital

Prontos há quase um ano, Rui Pimentel e Canguru estão sem moradores

20 ABR 2017Por DA REDAÇÃO06h:00

A entrega das últimas 532 moradias populares que começaram a ser construídas em 2012 e que ainda não foram entregues em Campo Grande estão travadas por questões burocráticas.

Os 272 apartamentos do Condomínio Jardim Canguru estão prontos há quase um ano, inclusive com os mutuários já definidos. E as 260 casas do Residencial Rui Pimentel aguardam que nova empresa assuma as obras.

No Canguru, a expectativa era que os selecionados se mudassem para o local no segundo semestre do ano passado, o que não ocorreu. O Banco do Brasil, que é o órgão financiador do empreendimento, afirma que ainda não recebeu os documentos necessários de todos os beneficiados e por isso, as unidades ainda não foram e entregues. 

Nota da instituição afirma que “o Banco do Brasil esclarece que vem cumprindo todas suas obrigações e responsabilidades atribuídas no Programa Minha Casa Minha Vida e aguarda a regularização de documentações”.

Sem prazo para que tudo seja finalizado e o residencial entregue, o banco afirma apenas que “dará sequência imediata ao processo de entrega das chaves aos beneficiários assim que regularizada as pendências”.

Quanto ao Residencial Rui Pimentel, depois de quatro anos paralisada, a construção das 260 casas vai continuar. Licitação da Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab) vai selecionar empresa para pavimentar o entorno do local, localizado na rua Marajoara, Jardim Centro Oeste. A obra estava travada porque a empreiteira que a realizava desistiu.

*Leia reportagem, de Lucia Morel, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Leia Também