Quarta, 22 de Novembro de 2017

portões fecham meio-dia

Antes de prova do Enem na
Capital tem oração e muita fila

Teve gente que chegou três horas antes de os portões abrirem

5 NOV 2017Por RODOLFO CÉSAR E RAFAEL RIBEIRO11h:19

Antes dos portões abrirem em alguns locais de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), neste domingo, muita gente chegou cedo e foi preciso formar fila para organizar a entrada de inscritos.

Em uma universidade que fica na Rua Ceará, em Campo Grande, a fila tinha aproximadamente 600 metros. Os portões foram abertos às 11h e o horário de serem fechados é meio-dia, porque ao meio-dia e meia a prova será distribuída.

Como o Ministério da Educação também estabeleceu uma série de novas regras para inspeção de quem vai prestar a prova neste ano, teve gente que ficou preocupada em chegar na última hora e não conseguir entrar. A prova deste ano será feita em dois domingos e hoje é  primeiro dia, quando haverá questões de linguagens, ciências humanas e redação, com cinco horas e meia de duração.

Do lado de fora, também teve quem recorreu para a fé com o propósito de se manter calmo para a avaliação. Na Uniderp, grupos religiosos fizeram orações e também entregaram canetas ungidas.

"Esse trabalho é uma forma de retribuir a graça que alcançamos", disse a estudante de Medicina, Eduarda Silva, 22 anos, que está no primeiro ano do curso.

"Já perdi prova antes por atraso. Por isso, esse ano mandou a pontualidade", comentou Amanda Peixoto, 19 anos, vestibulanda de administração e chegou no local da prova às 8h, três horas antes da abertura dos portões.

O trânsito na Rua Ceará, por conta da movimentação dos inscritos, está complicado em ambos os sentidos. O mesmo deve ocorrer na saída dos candidatos, mas a previsão é menos confusão do que no período da manhã.

 

 
  • Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado
  • Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado
  • Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado
  • Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado
  • Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado
  • Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado
  • Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado
  • Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado
  • Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado

Leia Também