Quinta, 29 de Setembro de 2016

CAMPO GRANDE

Alceu Bueno mandou mensagem para a família meia hora antes de desaparecer

Polícia vai pedir quebra do sigilo telefônico do ex-vereador

21 SET 2016Por GABRIEL MAYMONE E VALQUÍRIA ORIQUI17h:20

O Instituto de Identificação confirmou, pelas digitais, que o corpo encontrado carbonizado, na manhã de hoje, é do ex-vereador Alceu Bueno, 55 anos. A informação foi repassada pela advogada da filha de Alceu, Thaisa Bueno. 

O delegado Edilson dos Santos, da Especializada de Repressão a Roubo, Bancos, Assaltos e Sequestros (Garras), informou que a família recebeu mensagem via WhatsApp do ex-vereador, às 21h30min de ontem (20), trinta minutos antes de desaparecer. "Nada da conversa foi suspeito", disse, informando ainda que irá pedir a quebra do sigilo telefônico do empresário.

Ainda conforme a polícia, nenhuma hipótese foi descartada, nem a tese de latrocínio nem a hipótese de 'queima de arquivo', pelo fato de Bueno ter sido condenado em processo de exploração sexual infantil. Porém, segundo Edilson, Bueno não tinha ou recebeu ameaças nesses últimos tempos.

Imagens de câmeras de segurança nas proximidades do local onde o corpo foi encontrado já estão com a polícia e serão analisadas. O veículo Land Rover, do empresário, ainda não foi localizado. Barreiras policiais foram montadas na tentativa de encontrar o automóvel.

O caso será investigado como homicídio doloso seguido de ocultação de cadáver.

Filha de Alceu Bueno (esquerda) prestou depoimento ao delegado Edilson (Foto: Gerson Oliveira / Correio do Estado)

CASO

Hoje de manhã, a polícia localizou o corpo carbonizado, com a língua de fora, em área de matagal, na Rua Avanhandava, região do Parque dos Poderes, em Campo Grande. Há indícios de que a vítima foi assassinada por estrangulamento, segundo a polícia.

CONDENADO

Alceu Bueno renunciou ao cargo de vereador em abril do ano passado, depois de ser alvo de investigações policiais sobre envolvimento em esquema de exploração sexual de adolescentes. Em dezembro do ano passado saiu a condenação de Alceu e mais quatro pessoas pelo crime.

A sentença foi proferida pela 7ª Vara Criminal de Campo Grande, e envolve ainda o ex-vereador Robson Martins, Sérgio Assis, Fabiano Viana Otero e Luciano Pageu. A condenação de Otero foi de 11 anos e 11 meses de reclusão por extorsão, exploração sexual de vulnerável, corrupção de menores, associação para o crime e tráfico de menor para fins de exploração sexual. Se não tivesse sido beneficiado pela delação premiada, a pena dele seria de 23 anos e 10 meses.

Pageu foi condenado a 21 anos, sete meses e 20 dias de reclusão também em regime fechado. Ele é acusado de exploração sexual de vulnerável, corrupção de menores,  associação para o crime e por dois crimes de extorsão. Mas diferente de Otero, ele foi absolvido do crime de tráfico de menor por falta de provas.

Martins foi condenado a 9 anos e 4 meses de prisão em regime fechado e o pagamento de 93 dias-multa por extorsão. Somadas, as penas dos envolvidos nesse esquema de exploração sexual infantil são de 57 anos e 20 dias de reclusão e 93 dias-multa.

ACUSAÇÕES

Influenciadas por Fabiano Viana Otero, duas adolescentes, de 15 anos, usaram uma câmera escondida em um chaveiro para registrar quando uma delas mantinha relações sexuais com o ex-vereador Alceu Bueno.

Alceu teve dois encontros com as meninas e todos foram filmados pelas garotas. As gravações foram usadas por Fabiano e seu amigo, o empresário Luciano Pageu para extorsão. O esquema de extorsão envolveu ainda o ex-vereador Robson Martins.

Leia Também