Quinta, 08 de Dezembro de 2016

LATROCÍNIO

Cabeleireiro é assassinado enforcado
e autores presos horas depois

Dois foram presos e um deles confessou que matou para roubar

29 NOV 2016Por LAURA HOLSBACK09h:19

Giovani Carra, de 31 anos, foi assassinado enforcado na madrugada de domingo (27). O homem, que trabalhava como cabeleireiro, estava sumido desde a noite de sábado e foi encontrado morto nessa segunda-feira, em Maracaju. Maurício Ferreira Figueiredo, 23 anos, e Gilson Arguelho de Souza, 22, foram presos em flagrante e, segundo autoridade policial, planejaram roubar o automóvel da vítima.

O delegado Amylcar Eduardo Romero explica que o caso começou a ser investigado somente na madrugada de ontem, que foi quando familiares denunciaram o desaparecimento de Giovani.

Cerca de quatro horas depois, dois envolvidos no latrocínio (roubo seguido de morte) estavam presos. “Apenas o Maurício confessou participação no assassinato e nos indicou o local onde o corpo estava. Em depoimento, ele declarou que estava junto com Gilson perto da rodoviária da cidade quando Giovani passou por eles e chamou para darem uma volta. Aceitaram ir, mas para roubar. Naquele momento planejaram o crime”, disse a autoridade policial.

Giovani foi despido, amarrado com as roupas em local deserto e assassinado enforcado com cinto do carro, modelo Clio, que pertencia a ele.

Depois do crime, a dupla fugiu levando o automóvel. Sem ninguém para vender, os criminosos esconderam o Clio na casa de um conhecido que não tinha conhecimento do crime, disse o delegado.

Ao contrário do amigo, Gilson nega ter assassinado o cabeleireiro e alega que desceu do veículo no meio do trajeto. No entanto, segundo Maurício, foi Gilson que cortou o cinto para enforcar a vítima, completou o delegado Amylcar.

Giovani foi visto pela família, pela última vez, na noite de sábado quando saiu da casa onde morava para ir a uma festa.

Leia Também