Terça, 26 de Setembro de 2017

Ribas do Rio Pardo

Brigadistas trabalham nos novos focos de incêndio em plantação de eucalipto

Chamas atingiram floresta, área de preservação e de pastagem

14 SET 2017Por MARESSA MENDONÇA E TAINÁ JARA, DE RIBAS DO RIO PARDO12h:18

Brigadistas trabalham, nesta quinta-feira (14), em dois novos focos de incêndio nas fazendas Eucalipto Brasil, anteriormente conhecida como Boi Preto, e Andorfato, em Ribas do Rio Pardo. O fogo, que começou ontem, consumiu parte da vegetação, pastagem e plantação de eucalipto das propriedades.

À reportagem do Correio do Estado, gerente da Eucalipto Brasil, Antônio Alckmin contou que a fazenda tem cerca de 20 mil hectares. Ele acredita que 10% desse total foi incendiado, mas o prejuízo ainda não foi calculado.

Ele comentou ainda sobre a dificuldade que enfrentaram em controlar as chamas porque o vento estava intenso.

Ao todo, oito caminhões-pipa, 10 tratores e uma brigada de incêndio de empresa da região ajudaram a controlar as chamas. O Trânsito na rodovia foi interditado por ao menos uma hora por conta da falta de visibilidade em decorrência da fumaça.

ANIMAIS

Um dos arrendatários, José Vanderlei Scarpin, de 67 anos, disse que tem 350 cabeças de gado e até o momento não constatou a morte de nenhum animal.

Segundo ele, quando as chamas começaram a atingir a propriedade, as cercas foram cortadas para o gado seguir e ficar confinado em espaço menor.

Outras cercas foram construídas hoje para evitar que os bois invadam a rodovia.

O INCÊNDIO

Incêndio na fazenda Boi Preto, em Ribas do Rio Pardo, causou muita fumaça que cobriu parte da BR-262 e também chegou à cidade, que fica 12 quilômetros distante. A reportagem apurou com pessoas que estiveram no local que a estimativa é que até 300 hectares da propriedade foram destruídos.

O fogo começou em uma área de reserva, mas por conta do vento alastrou-se para a floresta de eucalipto. Por conta da plantação ter alto poder de combustão, não foi possível combater as chamas, que logo multiplicaram-se.

As chamas passaram pela BR-262 e continuaram do outro lado da margem da rodovia. A plantação de eucalipto pertence a Mário Celso Lopes, ex-sócio da fábrica da Eldorado, em Três Lagoas, e foi alvo da Operação Greenfield da Polícia Federal neste ano. O empresário estava aliado ao grupo J&F Investimentos, dos irmãos Joesley e Wesley Batista.

 

 
  • (Valdenir Rezende/Correio do Estado)
  • (Valdenir Rezende/Correio do Estado)
  • (Valdenir Rezende/Correio do Estado)
  • (Valdenir Rezende/Correio do Estado)
  • (Valdenir Rezende/Correio do Estado)
  • (Valdenir Rezende/Correio do Estado)

Leia Também