Sábado, 18 de Novembro de 2017

ação humana

Atrito do trem nos trilhos pode
ter causado incêndio gigantesco

Fogo queimou 4,5 mil hectares e causou prejuízo milionário

16 SET 2017Por LUCIA MOREL05h:00

Ação humana certamente provocou incêndio que devastou 4,5 mil hectares da Fazenda Boi Preto, em Ribas do Rio Pardo, a 98 km de Campo Grande.

Três são as possíveis fontes do fogo: faíscas formadas do atrito entre as rodas do trem e o trilho; bituca de cigarro (ou outro material) jogada às margens da BR-262; ou queima intencional da vegetação.

Segundo o chefe do Centro de Proteção Ambiental do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, tenente-coronel Waldemir Moreira Júnior, combustão espontânea está descartada.

“Combustão espontânea é bem improvável. Poderia ser se houvesse algum gás subterrâneo, mas não é o caso”, sustentou, dizendo que nem mesmo vidro ou latinhas de metal jogados teriam poder de incitar o início da queimada.

Ele explica que o fogo deixa rastros e que por eles é possível determinar onde começou. “Foi entre o trilho e as margens da rodovia. O trilho atravessa a rodovia e [o fogo] pode ter iniciado da faísca durante a passagem de um trem, ou algum material aceso jogado nas margens e até mesmo a queima intencional”, comentou. 

Certeza, no entanto, somente depois de perícia, que deve ser solicitada pelos proprietários da fazenda. Trabalho de monitoramento da área atingida termina neste sábado, às 16h30min, quando se encerram 48 horas do fim do combate ao fogo.

Estima-se em R$ 21,2 milhões o prejuízo na fazenda. Do total destruído, dois mil hectares são de floresta plantada de eucalipto e dois mil e quinhentos hectares de pastagens e área de preservação permanente (APP). Toda a propriedade possui 20 mil hectares.

 

Leia Também