Sábado, 24 de Setembro de 2016

MUNDO

Trump pede que polícia aja contra muçulmanos e é criticado por Clinton

19 SET 2016Por FOLHAPRESS23h:00

O candidato à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, defendeu mais uma vez que a polícia se concentre em suspeitos de origem muçulmana para evitar atos de terrorismo. Os comentários do republicano vêm após ataques a bomba em Nova York e Nova Jersey no sábado (17).

O afegão naturalizado americano Ahmad Khan Rahami, 28, foi preso nesta segunda (19), suspeito de ser o autor dos atentados.

Em entrevista à rede de televisão conservadora Fox News, Trump disse que a polícia deixa de agir contra suspeitos devido a preocupações com o politicamente correto. Ele também disse que havia "conexões estrangeiras" por trás dos ataques do último final de semana.

A polícia não para alguém que "parece ter uma enorme bomba nas costas", afirmou Trump. "Se ele parece ser daquela parte do mundo, não podemos agir", disse ele.

No passado, o candidato já havia defendido limites à imigração de muçulmanos aos EUA.

As declarações foram criticadas por sua rival democrata Hillary Clinton, que afirmou que o discurso de Trump ajuda grupos terroristas.

"Eles [terroristas] querem fazer com que isso seja uma guerra contra o Islã, em vez de uma guerra contra jihadistas e terroristas violentos. A retórica e a linguagem que Trump tem usado ajuda e dá conforto a nossos adversários", disse ela.

Hillary também chamou o republicano de "sargento recrutador para os terroristas" e disse que os americanos deveriam mostrar "coragem e vigilância" e não demonizar muçulmanos ou estrangeiros após os ataques.

Leia Também