Domingo, 19 de Novembro de 2017

mudanças

Reforma da Previdência deve
ser votada ainda em novembro

24 OUT 2017Por FOLHAPRESS23h:00

A reforma da Previdência deverá ser votada na segunda quinzena de novembro, afirmou o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, nesta terça (24), em evento da Câmara de Comércio França-Brasil, em São Paulo.

O ministro se mostrou otimista em relação à aprovação, mas reconheceu que, caso não se concretize, medidas como a suspensão do abono salarial podem ser tomadas.

"Despesas deverão ser cortadas, e o problema do Brasil é que mais de 70% dos gastos são definidos pela Constituição, então teremos que enfrentar medidas constitucionais."

O relatório que conclui que não há deficit da Previdência, apresentado nesta segunda-feira (23), não leva em conta todas as despesas do governo como os benefícios sociais, segundo o ministro.

O documento foi apresentado na CPI da Previdência pelo senador Hélio José (Pros-DF). O texto declara que "tecnicamente, é possível afirmar com convicção que inexiste deficit da Previdência Social ou da Seguridade Social".
A conclusão contraria o Tribunal de Contas da União, de que o deficit previdenciário somou R$ 226,9 bilhões em 2016.

O senador diz que as projeções apresentadas pelo governo não estão de acordo com a realidade e que foram construídas para justificar uma reforma que classificou como "drástica".

Leia Também