Sábado, 10 de Dezembro de 2016

DICAS

Professor goiano cria projeto de dicas para o Enem por aplicativo

Para manter o interesse, a abordagem muda conforme as matérias

26 NOV 2016Por MEC18h:53

“Você recebeu uma nova dica para o Enem!” Essa é a mensagem que frequentemente chega a 1,4 mil estudantes do ensino médio de todo o país que participam de grupo de estudos criado a partir da troca de mensagens pelo aplicativo whatsapp. O projeto SuperNova, que atende alunos das redes pública e particular, surgiu de uma iniciativa do professor de matemática Paulo Murilo, de Goiânia, Goiás, para apoiar estudantes na preparação com vistas ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Sem nenhum custo, estudantes podem tirar dúvidas e trocar informações sobre diferentes conteúdos.

“Como eu trabalho com o ensino médio, 100% dos alunos são trabalhados para fazer a prova do Enem”, diz o professor. Ao elaborar projeto de pequenos grupos no whatsapp para tentar solucionar dúvidas dos alunos, ele se deparou com um desafio: será que funcionaria?

“Hoje, tenho o auxílio de 12 professores, de diversas áreas”, diz. “Trabalho voluntário, cada grupo para um professor. Então, temos grupos de física, de química, de biologia, de geografia, de história.”

Alguns grupos contam com a participação de até 256 alunos. A experiência, de acordo com o professor, tem sido tão positiva que, nesses dois anos de trabalho, foi possível expandir e alcançar também as redes sociais. “Uma postagem, hoje, por exemplo, atinge cerca de 5 mil pessoas de modo muito fácil. Os alunos vão descobrindo”, destaca. “Temos alunos de Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, muitos do Nordeste, do Acre, do Sul. Tem gente do Brasil inteiro.” O projeto está aberto a quem tiver interesse em participar, garante Paulo Murilo.

Parceria — Para manter o interesse sobre os mais diversos conteúdos, a abordagem muda conforme as matérias. O professor garante que toda informação é bem-vinda. “Enviamos videoaulas, videodicas de como trabalhar determinado conteúdo, estatísticas das provas, como administrar melhor o tempo”, explica.

Atento à demanda e às necessidades dos alunos, o professor busca parceiros que o auxiliem, tanto na compreensão do conteúdo quanto em questões práticas que igualmente possam influenciar na hora da prova. “Temos uma parceria com uma psicóloga aqui da cidade, que fez um pequeno vídeo, disponível para os alunos, sobre como se comportar na véspera da prova, o que comer etc.”, afirma Paulo Murilo. “Então, há uma série de preocupações com relação os alunos que estão cadastrados no projeto.”

Algumas regras, como esclarece o professor, são importantes para o bom andamento do trabalho de cada grupo. “Nada de piadas, de conteúdo inadequado, nada de bom dia, nada de boa noite, nada disso”, diz. “Aqui é simplesmente enviar a dúvida, de forma bem específica. O professor vai tentar resolver ou dar um caminho para que o aluno seja capaz de resolver o problema sozinho.”

Paulo Murilo aposta naquilo que permite a tecnologia, e de maneira rápida, a fim de facilitar o acesso dos estudantes. O próximo passo será a criação de um aplicativo para celular que amplie ainda mais o acesso aos estudantes que pretendem fazer o Enem. “Estamos tentando, cada vez mais, usar o celular como instrumento para potencializar o estudo”, diz. “Isso não vai substituir professor, não vai substituir o livro. É apenas mais um mecanismo para auxiliar os alunos. Nosso desafio maior, agora, é criar outro aplicativo.”

Os estudantes interessados em participar podem enviar o pedido pela página do SuperNova na internet e para o número do whatsapp nela divulgado. O projeto também está no facebook e no instagram. Basta buscar projeto SuperNova.

Leia Também