Segunda, 26 de Junho de 2017

RIO DE JANEIRO

Postos do RJ registram filas para vacinação contra febre amarela neste sábado

18 MAR 2017Por G113h:35

Postos de saúde do estado do Rio de Janeiro tinham filas neste sábado (18) para a vacinação contra a febre amarela. O Centro de Saúde Heitor Beltrão, na Rua Desembargador Isidro, na Tijuca, na Zona Norte da capital, desde cedo registrava uma enorme concentração de pessoas que saía pela porta do posto e tomava parte da calçada da rua. Dos 92 municípios do RJ, 64 já fazem parte dos cinturões de segurança e tem prioridade para vacinação.

Desde o anúncio da primeira morte causada pela febre amarela no estado, na cidade de Casemiro de Abreu, os moradores da capital fluminense correram aos postos de saúde, mesmo sem o início oficial da campanha de vacinação na cidade.

Em entrevista ao RJTV, o secretário de saúde do RJ, Luiz Antônio Teixeira, afirmou que o trabalho de vacinação da população acontece em parceria com as prefeituras.

“O trabalho de vacinação é essencialmente municipal. Estamos garantindo aos municípios que possam fazer a vacinação, estamos disponibilizando mais doses para a Região Metropolitana e acreditamos que, na próxima semana, a gente já comece a campanha de vacinação para a Região Metropolitana para as pessoas terem tranquilidade”, explicou Teixeira.

Os moradores de Magé, na Região Metropolitana, um dos municípios com vacinação prioritária, contam que encontraram os postos de saúde fechados. A prefeitura da cidade afirma que não foi avisada. O secretário destacou que os municípios que não conseguiram iniciar a imunização vão começar na próxima segunda (20).

O secretário esclarece ainda que todos os registros de febre amarela são da espécie silvestre e, por isso, a prioridade é a população rural. Os moradores das cidades devem procurar os postos de saúde com tranquilidade, segundo ele.

“Eu gostaria de ressaltar que estamos falando de uma febre amarela silvestre. Por mais que tenhamos inúmeros casos em Minas Gerais, no Espírito Santo e em São Paulo, não houve ainda uma febre amarela urbana. Então, a nossa maior preocupação são as pessoas que moram em propriedades rurais, próximo de matas e florestas. Estamos buscando vacinar a nossa população”, destacou Teixeira.

Em Petrópolis as filas também começaram cedo e só aumentaram ao longo da manhã. O frio da manhã não afastou os moradores - famílias inteiras foram para a fila para garantir a imunização.

De acordo com boletim da Secretaria Estadual de Saúde deste sábado (18), o RJ tem dois casos confirmados de febre amarela, 35 casos em investigação e outros 21 casos descartados.

Leia Também