Segunda, 25 de Setembro de 2017

Esquema

PF prende 12 pessoas em ação contra
roubo de dinheiro de clientes da Caixa

15 SET 2017Por G107h:16

A Polícia Federal (PF) cumpre uma operação contra uma quadrilha suspeita de roubar cerca de R$ 1,3 milhão de contas poupança de clientes da Caixa Econômica Federal. As ordens judiciais estão sendo cumpridas em cidades do Paraná, Santa Catarina e da Paraíba, na manhã desta sexta-feira (15). O esquema contava com a ajuda de um funcionário da Caixa.

Dos 13 mandados de prisão, 12 tinham sido cumpridos até as 7h50. A ação foi batizada de "Duas Caras".

De acordo com as investigações, a quadrilha fraudava cartões da Caixa e roubava dinheiro das contas de clientes com grandes saldos. Ao menos 400 transações financeiras teriam sido realizadas, entre saques e transferências.

O G1 tenta contato com a Caixa Econômica Federal.

Ao todo, foram expedidos 56 mandados judiciais, sendo 23 de busca e apreensão, seis de prisão preventiva, sete de prisão temporária, seis de sequestro de bens e um mandado de suspensão do exercício da função pública por equiparação.

Os crimes investigados são furto qualificado, estelionato qualificado, peculato, que é quando um funcionário público se apropria de valor ou bem público, uso de documento falso, falsificação de documento público e associação criminosa.

No Paraná, as ordens judiciais estão sendo cumpridas em Curitiba, Colombo, Fazenda Rio Grande, Almirante Tamandaré, São José dos Pinhais, Matinhos e Guaratuba; em Santa Catarina, em Palhoça; e na Paraíba, em João Pessoa.

Como funcionava o esquema

O funcionário que facilitava o esquema, de acordo com a PF, pesquisava e identificava contas poupança de clientes com grandes saldos e que não apresentava histórico de retiradas. Ele repassava os dados dos ao líder do grupo criminoso.

Por sua vez, o líder solicitava a emissão de documentos falsos e complementava os demais dados necessários com outros participantes do grupo, que geralmente possuíam acesso a banco de dados, em razão de suas profissões.

Na sequência, os investigados entravam em contato com a central de cartões da Caixa e, se passando pelos clientes, informavam a “falsa” perda do cartão para gerar outro.

Os cartões eram retirados nos centros de distribuição dos Correios também com o uso de documentos falsos. Depois, os criminosos faziam uma série de saques nos caixas eletrônicos, compras em débito automático e saques e transferências na boca do caixa até que o dinheiro nas contas se esgotasse.

O nome da operação

O nome da ação é uma referência a atuação do funcionário da Caixa investigado, que “age de um jeito ou de outro dependendo com quem está”, ainda conforme a PF.

Funcionário da Caixa preso por facilitar outro esquema

Um funcionário da Caixa foi preso em flagrante na manhã desta terça-feira (12) no bairro Tatuquara, em Curitiba, suspeito de facilitar um assalto em uma agência bancária que fica no mesmo bairro, em maio do ano passado.

Segundo a PF, o homem avisava aos ladrões sobre as quantias de dinheiro armazenadas nos caixas e sobre o momento adequado para o roubo na agência, que era sempre após o expediente. Em um dos roubos, os ladrões levaram R$ 208 mil.

Os policiais cumpriram um mandado de busca e apreensão na casa dele e apreenderam uma arma com documentação irregular.

Leia Também