Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Luto

Os 10 melhores e piores momentos de Fidel Castro

26 NOV 2016Por GALILEU19h:00

Oex-presidente de Cuba, Fidel Castro, morreu aos 90 anos. A informação foi anunciada pelo seu irmão Raúl Castro, em pronunciamento na TV estatal cubana."Com profunda dor compareço para informar ao nosso povo, aos amigos da nossa América e do mundo que hoje, 25 de novembro do 2016, às 22h29, faleceu o comandante da Revolução Cubana, Fidel Castro Ruz", disse Raúl Castro. Seguindo o desejo do próprio ex-lider cubano, seu corpo será cremado.

Relembre os momentos mais marcantes da trajetória de Fidel:

1. CADEIA AO INSURGENTE

1953 - Em 26 de julho, um advogado recém-formado de 27 anos chamado Fidel Alejandro Castro Ruz lidera ataques contra os quartéis de Moncada e Carlos Manuel de Céspedes. O ato foi o primeiro de uma rebelião contra a ditadura de Fulgêncio Batista. A empreitada fracassou, Fidel foi preso e condenado a 15 anos de cadeia, mas a insurgência continuaria latente. 

2. EM CAUSA PRÓPRIA

1955 - A rebelião de 1953 serviu como pedra fundamental do "Movimento Revolucionário 26 de Julho" - e rendeu a Castro dois anos em diferentes penitenciárias cubanas. Em seu julgamento, ele decide fazer a própria defesa. Com um discurso pungente (marca registrada) em que defendia o direito popular de combater a tirania, ele torna célebre a frase "a História me absolverá". Graças a um grande apelo popular, Fidel é anistiado e exilado no México, onde turbina o movimento contra Batista.

3. REDUÇÃO DE CONTINGENTE


1956 - Se há um adjetivo que cai como uma luva para Fidel Castro é "obstinado". Liberado da prisão, ele não demorou a reunir com 81 guerrilheiros para desembarcar em Cuba. Ele vinha dos Estados Unidos, onde havia passado meses discursando e pedindo apoio de cubanos expatriados (quem diria...). A bordo do iate Granma, atracou e rumou para a Sierra Maestra, região isolada da ilha. Mas o grupo foi surpreendido pelo exército de Fulgêncio Batista. Apenas 12 homens chegaram ao destino

4. TOMADA DE HAVANA

1959 - Por mais de dois anos Fidel Castro permanece na Sierra Maestra organizando seu Exército Rebelde Cubano. Usando apoio norte-americano, planejava a tomada da capital. Deu certo: em 1º de janeiro, Batista foge para a Flórida, e uma semana depois o orgulhoso Fidel Castro lidera uma marcha de entrada em Havana. E seu poder já começou amplificado: foi logo declarado "Comandante em Chefe de todas as forças armadas, terrestres, aéreas e marítimas" e, em meados de fevereiro, primeiro-ministro

5. REAÇÃO YANKEE

1961 - Nos seus primeiros anos de governo, Castro nacionaliza empresas estrangeiras, recebe subsídios da União Soviética e declara um regime socialista. A melhoria das condições de vida para os menos favorecidos é gritante. Contrários ao avanço do comunismo, os americanos rompem relações com Cuba após um ataque malsucedido na Baía dos Porcos, em 15 de abril. Cerca de 1.400 anticastristas treinados pela CIA tentaram invadir o país, mas foram derrotados em três dias

6. SUPERPOTÊNCIAS PRESSIONADAS

1962 - Provocar os norte-americanos é tarefa fácil para um líder que nunca temeu crises internacionais. Em outubro, Fidel Castro pede à URSS a instalação de mísseis soviéticos no território cubano. Desafiado, o presidente John Kennedy decide decretar um embargo econômico e bloqueio naval à ilha - embargo que persiste até os dias de hoje e estrangula a economia cubana. A chamada "Crise dos Mísseis" quase descongela a Guerra Fria

7. COMANDANTE EM CHEFE

1965 - Castro funda o novo Partido Comunista de Cuba e se torna primeiro-secretário. O companheiro Che Guevara, então escalado como um propagador do socialismo, parte para liderar revoluções em outras partes do mundo. Fidel decide ler a carta de despedida de Che em público para tentar abafar os boatos de que a relação entre os dois era terrível

8. ÊXODO ESPONTÂNEO

1980 - Em abril, primeiro um ônibus e depois 10 mil pessoas invadem a embaixada do Peru em Havana - eles queriam asilo político. Indignado com a falta de patriotismo, Castro proclamou que o porto de Mariel estava aberto para as pessoas que quisessem deixar a ilha e tivessem "carona", pois a revolução não precisava delas. Foi um fiasco: nos seis meses em que o porto esteve aberto, 125 mil cubanos deixaram o país

9. O FIM DE UMA ERA

1991 - Uma mudança de rumo do outro lado do globo causa forte impacto em Cuba. A queda do Muro de Berlim e o fim dos regimes socialistas no Leste Europeu levam à dissolução da União Soviética. Ou seja, Fidel perde seu maior aliado em subsídios econômicos - o país recebia uma espécie de "mesada" da URSS. O estado cubano, que já estava em situação complicada, passou a sentir todo o isolamento do bloqueio imposto pelo vencedor da Guerra Fria, os EUA. Ao receber a visita do amigo Lula, Fidel disse sentir saudades da URSS. "É como se o sol não nascesse mais", disse ao ex-presidente brasileiro

10. GUERREIRO APOSENTADO

2008 - Depois de passar um ano e meio afastado da presidência por problemas de saúde, Fidel Castro renuncia aos seus cargos em 19 de fevereiro em favor do irmão, Raul. Foram 49 anos de regime - que ele deixou para trás alegando não ter mais condições físicas de se doar ao país. Mas mantém o cargo de primeiro-secretário do Partido Comunista de Cuba.

Leia Também