Segunda, 05 de Dezembro de 2016

MUNDO

Mulheres expulsam políticos e criminosos para administrar cidade autônoma no México

18 OUT 2016Por YAHOO18h:31

A pequena cidade de Cherán, no estado mexicano de Michoacán, é a exemplificação do poder feminino. Em um país de graves escândalos de corrupção e que tem cidades inteiras controladas por traficantes, lá, as mulheres tomaram o poder. 

De forma organizada, elas expulsaram o crime, os políticos e policiais. O princípio da luta foi a necessidade de proteger as florestas da região, que eram destruídas por madeireiras aliadas do crime organizado. 

A mobilização começou em 2011, depois de elas tentarem o diálogo para evitar a destruição total das matas. Elas sequestraram alguns madeireiros e, com a força da população, fizeram eles reféns. 

Com a notoriedade do caso, policiais tentaram reverter a situação, mas encontraram uma resistência organizada e determinada. Com a união da população, os madeireiros e os policiais estavam dominados. Depois, foi questão de tempo para revolucionar também a política. 

Atualmente a cidade é dividida em quatro bairros, cada um com um representante eleito. O conselho se reúne para estabelecer políticas e discutir problemas vividos em cada localidade. 

AUTONOMIA RECONHECIDA

Após a tomada do poder pelas mulheres, o governo federal reconheceu a autonomia da cidade. Além disso, a Justiça aceitou que em Cherán não haja nenhum partido político atuante. 

De acordo com os próprios moradores, a solidariedade e as decisões em comunidade são o que permitiram que a pequena cidade se tornasse autônoma.

SEGURANÇA

Para manter estabilidade, a população montou rondas armadas. Elas se mantém como uma polícia, e tem o objetivo de garantir a autonomia da cidade. Apesar do estado de Michoacán ser um dos mais violentos do país, a cidade não registrou crimes graves em 2015. 

Apesar da liberdade conquistada, as regras são severas na cidade. Para se cortar uma sequer, por exemplo, é necessário comunicar e receber a autorização. 

Leia Também