Sábado, 29 de Abril de 2017

DO ACRE

Médico diz que jovem que sumiu é
médium e foi orientado por espíritos

21 ABR 2017Por G114h:11

O estudante de psicologia Bruno Borges, de 24 anos, desaparecido desde o dia 27 de março, procurou o médico José Furtado de Medeiros, de 79 anos, no ano passado, pedindo orientações a respeito do projeto em que trabalhava.

Amigo da família do jovem, Medeiros é espírita e fundou oito centros da religião em Rio Branco. Bruno disse a ele que via vultos e ouvia vozes claras.

O médico prestou assistência médica ao acreano do nascimento até os 12 anos de idade.

“Ele me procurou porque queria ajuda para desenvolver o trabalho e precisava de orientação. Pedi para ele me explicar, mas se recusou. Falou por alto alguma coisa que não compreendi, foi quando indiquei que procurasse na universidade o setor de ciências”, conta.

Medeiros ressalta que, mesmo sem uma explicação clara, perguntou a Bruno se o projeto era relacionado à doutrina espírita ou coisas de outro mundo.

Antes de desaparecer, o estudante deixou 14 livros escritos à mão e criptografados no quarto – alguns espalhados pelo chão, paredes e teto – e uma estátua do filósofo Giordano Bruno (1548-1600).

“Perguntei se ele via alguma coisa extra-humana. Ele disse: ‘vejo, mas não é nítido, tipo sombras, e escuto vozes perfeitas dizendo para mim que tenho uma missão na terra para desenvolver um trabalho muito importante que ajudaria toda a humanidade’”, acrescenta.

O médico afirma que nunca notou nenhum tipo de anormalidade na conversa que teve com Bruno. “Pelas palavras, notei que ele tinha um grande conhecimento de vários assuntos, não só de filosofia, mas de outras áreas da ciência. Observei que era mais ligado ao mundo espiritual. Não notei nenhuma anormalidade psiquiátrica”, salienta.

AUXÍLIO

À luz do espiritismo, Medeiros acredita que Bruno foi auxiliado por espíritos, demonstrando um tipo de mediunidade um pouco desenvolvida, mas não tão aprimorada.

Ele ressalta que casos de reencarnação – opinião defendida pelo escultor Jorge Rivasplata, autor da estátua no quarto do jovem – normalmente são revelados na infância.

“Pelo conheço da doutrina espírita, ele [Bruno] estava sendo auxiliado por um espírito que pode ser do filósofo ao qual ele simpatizou [Giordano Bruno] ou outro espírito amigo desse filósofo, que achou nele a capacidade de desenvolver um trabalho que parece que ficou inacabado. Ele captava com facilidade a inspiração desse espírito. É uma das hipóteses”, opina.

INVESTIGAÇÃO

O secretário adjunto de Polícia Civil, Josemar Portes, confirmou ao G1, na segunda-feira (17), que o nome de Bruno foi incluído na lista de pessoas desaparecidas da Polícia Federal do Acre (PF-AC) e que a Interpol – polícia internacional – foi acionada.

Portes afirmou que não existem indícios de que o acreano tenha saído do país, mas a linha de investigação não foi descartada. “A possibilidade dele ter saído do país deve ser investigada, pois ele tinha dinheiro e é um rapaz muito inteligente”, finalizou.

Leia Também