Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Tragédia aérea

Luzes se apagaram repentinamente,
diz sobrevivente de acidente

30 NOV 2016Por FOLHAPRESS09h:17

Um breve relato de uma das sobreviventes do acidente aéreo que matou 71 pessoas do voo que levava a Chapecoense à Colômbia para disputar a final da Copa Sul-Americana aponta para uma falha no sistema elétrico da aeronave instantes antes da queda. Segundo, pilotos ouvidos pela Folha, a pane é compatível com a tese de falta de combustível e desligamento dos motores.

O governador de Antioquia (departamento cuja capital é Medellín), Luis Pérez, contou a imprensa colombiana que conversou com a auxiliar de voo Ximena Suárez no hospital. "O pouco que ela falou foi que luzes começaram a se apagar repentinamente e que 40 ou 50 segundos depois sentiu a pancada. Ela se lembra até aí."

A tese da falta de combustível foi reforçada por um depoimento de um piloto -não identificado- divulgado por emissoras de TV colombianas e que circulou por redes sociais no país na noite desta terça (29). Pela versão divulgada, esse piloto comandava um outro avião no momento da queda.
Ele relata que, a pedido da torre de controle do aeroporto internacional José María Córdova, no município de Rio Negro (vizinho a Medellín), onde pousaria o avião brasileiro, retardou o pouso de sua aeronave porque havia problemas em outras duas.

Uma era a da delegação brasileira e a outra, como informou associação de aviadores civis da Colômbia, um Airbus da Viva Colômbia que havia declarado emergência em seu voo e solicitado à torre a prioridade para descer no aeroporto.

No depoimento, o homem não identificado afirma que a aeronave brasileira informara ao controle aéreo que precisava pousar logo porque tinha pouco combustível.

Leia Também