Sábado, 24 de Setembro de 2016

MUNDO

Investigadores da ONU alertam para risco de genocídio no Burundi

20 SET 2016Por FOLHAPRESS23h:00

Um grupo de especialistas independentes comissionados pela Comissão de Direitos Humanos das Nações Unidas defendeu a criação de um painel da ONU para investigar violações de direitos humanos no Burundi.

Os especialistas alertaram para a existência de crimes contra a humanidade e para o risco de genocídio no país africano.

A violência no país se aprofundou depois que o presidente Pierre Nkurunziza se reelegeu pela segunda vez, no ano passado.

Agentes do Estado e defensores de Nkurunziza seriam responsáveis pelas violações de direitos humanos, segundo o grupo de especialistas, que diz ter provas de estupros, assassinatos, desaparecimentos, prisões em massa e tortura de oposicionistas ao regime.

De acordo com a Comissão de Direitos Humanos, houve 564 execuções no país desde abril de 2015, segundo estimativa "conservadora" do órgão. O relatório dos especialistas recomenda que a comissão analise a expulsão do Burundi do órgão caso a situação não melhore.

Leia Também