Sábado, 25 de Março de 2017

CORREIO B

Maternidade consciente: Veja ações alternativas para uma gravidez tranquila

14 MAR 2017Por CASSIA MODENA16h:00

A gestação e os primeiros anos da vida dos filhos são momentos de intensa transformação. Para vivenciá-los de forma mais leve e consciente, muitas pessoas têm recorrido a tratamentos e terapias alternativos ou complementares. Eles podem ser determinantes para manter o corpo, as emoções e as relações humanas saudáveis nessas fases.

Essas opções são ofertadas para casais que planejam a gravidez, gestantes e seus acompanhantes e para as famílias em geral. Exemplos das procuradas por esses perfis atualmente são pilates para grávidas, acompanhamento com parteiras e doulas, palestras e orientações em grupo e rodas de conversa.

ACOMPANHAMENTO

A gestação é a etapa que mais exige atenção em relação à saúde da mulher e do bebê – pois tudo precisa correr bem no parto. Mas mesmo com os exames pré-natal em dia e com um obstetra a orientando em consultas mensais, é normal que a gestante sinta falta de receber mais apoio emocional e de entender mais a fundo as mudanças pelas quais passa.

Conhecer o próprio corpo e entender aspectos fisiológicos da gravidez e da hora do parto são importantes para que a mulher encare a gravidez com segurança, segundo a doula Nany Ferreira. Receber afeto, orientação e acompanhamento especializado de forma humana também auxilia nesse sentido. “E o trabalho da doula é fundamental para garantir isso. Nós resgatamos o protagonismo da mulher, damos a ela o direito de aprender e de se informar, tirando dúvidas e estando ao lado dela no momento dela. Nós também procuramos esclarecer que o corpo dela é único e é dela, não uma propriedade do hospital ou de qualquer outra pessoa”, explica. 
 

Nany atende gestantes e mulheres no período pós-parto em Campo Grande e afirma que essas profissionais estão começando a se espalhar também pelo interior do Estado, em cidades como Dourados, Coxim, Três Lagoas e Ponta Porã. 

Ainda sobre o trabalho de acompanhamento que realizam, complementa. “Nós ficamos com a gestante antes, durante e após o parto, quanto tempo ela achar necessário. Acalmamos, fazemos massagens, colocamos ela em uma posição que alivie a dor, colocamos uma música para ela relaxar, fazemos silêncio quando é preciso, seguramos a mão e explicamos tudo o que vai acontecer dali para frente”. Nany tem formação como doula, educadora perinatal e em ultrassom manual. Fora o acompanhamento, dá miniaulas sobre o período gestacional na casa da gestante e faz pinturas na barriga que revelam a posição do bebê.

PILATES

O pilates é uma atividade física de baixo impacto que também entra na lista dos tratamentos complementares recomendados durante a gravidez e no pós-parto. O ideal é consultar o obstetra antes de começar a praticá-lo – vale lembrar.

A fisioterapeuta Thammy Cardoso aponta diversos benefícios para as grávidas, especialmente para as que desejam ter parto normal. “Geralmente, recomendam-se exercícios diferenciados para elas com o intuito de fortalecer o períneo e facilitar esse momento. Quem opta pela cesariana também faz os mesmos exercícios, mas de forma mais leve”, afirma. Outras vantagens são o alívio das dores de coluna, o controle de peso, a melhora na circulação e na respiração e o relaxamento do corpo.

Geralmente são indicadas duas sessões por semana, com duração de uma hora cada. A paciente pode fazer os exercícios até a última semana de gestação, desde que não haja restrições. Após o parto, pode continuar a prática depois de uma pausa. “Há também várias vantagens no pós-parto, uma delas é o fortalecimento da pelve. E a paciente pode trazer o bebê e parar para amamentar, sem problema”, finaliza Thammy.

Leia Também