Sábado, 18 de Novembro de 2017

Política

Irmão de Huck pede, 'pelo amor de Deus', que ele não seja candidato

27 OUT 2017Por FolhaPress07h:32

O cineasta Fernando Grostein Andrade está "pedindo pelo amor de Deus" que seu irmão, Luciano Huck, não seja candidato à Presidência.

Num café do Brooklyn, em Nova York, onde começa a gravar na semana que vem seu primeiro filme de ficção, ele comentou os planos políticos do apresentador da TV Globo.

"Não apoio essa ideia", disse Grostein Andrade. "Meu irmão é uma pessoa pela qual eu tenho muito carinho, que eu acho que pode contribuir bastante para a vida política do Brasil estando fora da política. Quero ele longe da política e mais perto da família".

Enquanto o cineasta visitava as locações de seu longa "Abe", a casa de Huck e sua mulher, Angélica, no Rio, recebia uma enxurrada de celebridades para o casamento da top model brasileira Michelle Alves e o empresário Guy Oseary.

Nas últimas semanas, o apresentador do "Caldeirão do Huck" teve encontros com economistas e empresários animados com sua possível corrida ao Planalto, por acharem que ele representa o pensamento liberal para a economia sem conservadorismo nos costumes.

Seu irmão, embora não goste dos planos políticos, também acredita que Huck seria mais moderado.
"Não acredito nessa visão simplificadora de esquerda e direita", diz o cineasta.

"A primeira pessoa que me levou a uma favela na vida foi o Luciano. Apesar de ele ser amigo de várias pessoas com bastante dinheiro, é uma pessoa que conhece os presídios, conhece as favelas e tem uma visão bastante aberta sobre o mundo e as pessoas. Não acho que ele seja de direita".

O diretor conta que vem tentando dissuadir o irmão da ideia em conversas nos últimos meses, reiterando que não "apoia, endossa ou acha legal" a ideia da candidatura, que diz ser um "equívoco". "Falamos sobre isso, sempre comigo pedindo, pelo amor de Deus, para ele não fazer isso".

Mas o mercado parece discordar. Huck tem sido visto cada vez mais como uma alternativa ao tucano João Doria, o prefeito de São Paulo, que sofre para fazer decolar suas ambições ao Planalto.

Grostein Andrade, que também critica Doria pela polêmica de sua "ração humana", ataca a situação política do país, que atravessa um "momento tenebroso" marcado pelo "obscurantismo".

Ele disse ainda que, depois do impeachment de Dilma Rousseff (PT), a Lava Jato foi "brecada".
Militante da causa LGBT, o cineasta lamentou que "o processo de celebração dos direitos civis e intensificação da cidadania no Brasil parecem estar cada vez mais ameaçados."

Leia Também